Em Cena

Quero ser feliz, porra!

No palco da Gare D'Austerlitz, iniciamos uma viagem pelos sons e pelas palavras do homem que sempre assumiu: Quero ser feliz, porra!

José Mário Branco sempre nos comoveu e acompanhou. Temos guardado o seu olhar sobre o mundo: de denúncia, crítico, acutilante, desencantado, irónico, poético e sempre… sempre… inquieto e cheio de futuro. Sonhámos um espetáculo que ressoasse o seu olhar. Vivemos tempos estranhos. Sentimos a falta da tua voz. Eh! Companheiro, que dirás deste mundo de hoje?

Novas datas no Salão Brazil

16 de dezembro, 21:15 Bilheteira
17 de dezembro, 21:15 Bilheteira

Quero ser feliz, porra! - Recital performativo. Uma criação coletiva com coordenação de Cristina Janicas | Interpretação: Alexandra Silva, Ana Pires, Carlos Coelho, Cristina Janicas, João Janicas, José Nelas, Ofélia Libório, Paula Santos, Paulo Pratas, Rui Damasceno | Participação especial: Simão Mota | Apoio aos arranjos musicais: Amílcar Cardoso | Cartaz e folha de sala: Paulo Pratas | Desenho de Luz: Nuno Patinho | Apoios: Câmara Municipal de Coimbra, Jazz ao Centro

Suspiros noturnos

«Suspiros noturnos» é um recital performativo que envolve poesia, teatro e a criação de ambientes sonoros ao vivo.
Neste espectáculo, os atores dão a sua voz às palavras de poetas. Dão também o seu corpo ao corpo de poetas. Ou, pelo menos, às imagens em que, pintados ou fotografados, as/os reconhecemos. «Suspiros noturnos» recria encontros entre poetas e escritores. Encontros possíveis. Alguns deles, sabemos que aconteceram. Outros, improvavelmente.
Mas a noite é favorável aos encontros. E também à intimidade dos suspiros. Porventura, suspira-se mais durante a noite. Mas tal não está provado... Os cientistas descrevem-no como “um segundo fôlego em cima do primeiro”. Para as/os poetas, é esse o momento em que se descobrem as palavras.

APRESENTAÇÔES

15 e 21 de setembro, 21h30, no Convento São Francisco, Coimbra.

ESPECTÁCULO AO AR LIVRE E EM CONFORMIDADE COM AS NORMAS DA DGS
ENTRADA GRATUITA COM RESERVA OBRIGATÓRIA DE INGRESSO

+ informações sobre os bilhetes:
Bilheteira (Convento): 239 857 191
bilheteira@coimbraconvento.pt

(re)habitar - 2020

(re)habitar - Recital itinerante pelas casas dos poetas (2020)

Passear pelas ruas da Alta e da Baixa de Coimbra. Descobrir nas casas “testemunhos de vida”. Reencontrar as palavras de poetas nas casas que habitaram, nos lugares de partilha que sentiram como segunda casa.
Deixar que “as casas de fora nos olhem pelas janelas” e reconstruam, através das palavras dos poetas, as ruas da rota que queremos traçar.

O PERCURSO

Biblioteca Joanina – Pátio das Escolas – Faculdade de Letras – Museu Machado de Castro – Sé Nova – Rua da Matemática – Rua das Flores – Couraça dos Apóstolos – Santa Cruz – Café «A Brasileira» – Sé Velha – Torre do Anto – Casa da Escrita

APRESENTAÇÕES

27 de junho de 2020
11 de julho de 2020

PREÇO DOS BILHETES

A participação no recital itinerante "(Re)habitar" tem lotação limitada (serão organizados grupos respeitando as orientações da Direção Geral de Saúde em vigor). É obrigatória a inscrição prévia para o email bonifratesbilheteira@gmail.com ou pelo telefone 916 615 388 (após o contacto ser-lhe-á indicada a forma de pagamento do bilhete).
Normal - 6 euros
Estudante - 4 euros
Clube amigos da Bonifrates - 3,50 euros
Os bilhetes poderão ser levantados entre as 15.30 e as 16.00, junto à Biblioteca Joanina.

Há palavras que nos tocam

Uma produção para redes sociais em tempos de isolamento.

A iniciativa consiste na disponibilização ininterrupta de poemas ditos (e cantados também, no passado dia 27 de março, Dia Mundial do Teatro) pelos atores e colaboradores da Bonifrates, juvenis, juniores e seniores.
Inspirados nos versos de O'Neil "Há palavras que nos beijam", e tendo em vista dizer não aos vírus da inação e do isolamento, através do calor que passa pelas palavras dos poetas, foram interpretados mais de 30 poetas e escritores, sobretudo dos vários países de língua portuguesa, a cujos textos deram voz cerca os cerca de 30 diferentes interpretes que já participaram. Foram textos luminosos, festivos, solidários, irónicos, apelativos e também carinhosos e ternurentos que foram colocados nas redes sociais ao longo destas últimas cinco semanas.
Tem sido constituída também uma ponte entre Portugal, França, Alemanha, Timor e Brasil, países diferentes onde foram feitas as gravações, mostrando que a poesia não tem pátria, mas está onde quer que os seus versos possam ressoar ou ecoar… O projeto tem sido acarinhado pelo público, em milhares de visitas e em múltiplos comentários, que mostram que estamos sempre a tempo de reinventar novas formas de vida, de união e de solidariedade, porque, como dizia Hölderlin, "onde está o perigo, cresce também aquilo que nos salva" e é assim que aprendemos a renascer. Para além dos atores da Bonifrates, o projeto envolve, na coordenação, João Paulo Janicas, e, na edição e publicação dos conteúdos, Amílcar Cardoso, Beatriz Janicas, Cristina Janicas, Hugo Oliveira, João Fragoso, Luís Pedro Madeira e Paulo Pratas.

REPOSIÇÃO - ADIADA

O Filho da Mãe continua... por aí

a partir de José Vilhena

Adaptação e encenação: João Paulo Janicas


Teaser aqui